Chapada Diamantina – Roteiro e Dicas de Viagem

A Chapada Diamantina é considerada por muitas pessoas o destino mais bonito do Brasil e nós, depois de 10 anos de relacionamento, assinamos os papéis e partimos para a nossa lua de mel nesse paraíso (lua de mel para aventureiros, claro).

Essa região da Bahia foi a maior produtora de diamantes do mundo no século 19, dando origem a esse nome. A região apresenta rio de águas cristalinas, poços, grutas, cavernas, morros, cânions, mirantes e uma infinidade de cachoeiras. É um ótimo destino para a prática do trekking e apresenta uma travessia considerada a mais bonita do país – a do Vale do Pati. É praticamente impossível conhecer a Chapada Diamantina inteira, nem mesmo os guias e nativos conhecem tudo.

Morrão, dicas de viagem na Chapada Diamantina

Morrão – Vale do Capão

Vale do Pati / Foto: Alex Uchoa

Vale do Pati / Foto: Alex Uchoa

Parque Nacional da Chapada Diamantina

O Parque Nacional foi criado em 1985 por decreto federal, abrangendo uma área de 1.520 km² da Serra do Sincorá e arredores. Além disso, muitos atrativos não estão dentro dos limites do parque, pois a serra da Chapada abrange uma área aproximada de 38.000 km², representando 7% da área total do Estado da Bahia.

Os rios da Chapada apresentam, em sua maioria, coloração escura e avermelhada por causa da alta concentração de ácido húmico que se forma com a decomposição de matéria orgânica vegetal na região. Entretanto a água é potável e pode ser ingerida sem nenhum receio.

Como chegar

De avião

aeroporto mais próximo da região é o Horácio de Matos, a 20km do centro de Lençóis, cidade com maior estrutura turística. Somente a companhia Azul tem voos regulares para a região, mas existem apenas três horários por semana. A viagem tem duração de 45 minutos à partir de Salvador. Se você escolher voar somente até Salvador, há duas opções:

  • Pegar um ônibus para Lençóis com a Rápido Federal (cerca de 7 horas de viagem);
  • Alugar um carro no aeroporto de Salvador (cerca de 6 horas de viagem).
De carro

A Chapada Diamantina é enorme e o transporte entre as cidades é precário. Se quiser conhecer bem o local você pode fechar os passeios com uma agência, ou alugar um carro e ir por conta própria. Apesar dos mochileiros não costumarem considerar o aluguel de carro, na Chapada é uma excelente opção, até mais econômica se estiver acompanhado (exceto se for pedir carona na estrada). Você ainda terá mais liberdade para organizar o seu roteiro. Apesar de existirem muitas estradas de terra, a maioria está em boas condições e um carro básico é suficiente.

Nota: O aluguel de veículo em Salvador é muito mais barato que na Chapada. Contratamos a locadora WebLoc e foi tudo perfeito. A diária custou R$50 com Km livre, pegando o carro no aeroporto. Escolhemos a opção mais barata, um veículo básico 1.0, mas entregaram um Classic 1.5 completo!

Estrada da Chapada Diamantina

Quando ir

Em relação ao clima, qualquer época do ano é boa, pois o sol está presente o ano todo e há poucos períodos de chuva. É muito comum amanhecer nublado e o sol começar a aparecer com força no início da tarde. Procure evitar a época de estiagem, que costuma ser de setembro a dezembro, pois as cachoeiras podem ficar com um volume de água bem menor e até secar.

Na alta temporada fica muito cheio e não dá pra aproveitar tanto alguns passeios que possuem controle de visitantes. De abril a setembro, os poços (Poço Azul e Poço Encantado) recebem a entrada de luz solar formando um feixe de luz espetacular, tente se programar para ir nesse período. Durante a baixa temporada, você consegue ficar mais tempo nesses locais e vai evitar fila.

Poço Azul, dicas de viagem na Chapada Diamantina

Poço Azul

Quanto tempo ficar

Reserve no mínimo 5 dias, pois a região é muito grande e oferece muitas atrações. Foi o período que conseguimos e deixamos de fazer muitos passeios que gostaríamos. O ideal é ficar entre 7 e 10 dias e, se você pretende fazer trekkings mais longos (como o Vale do Paty e a Cachoeira da Fumaça por baixo), pode reservar duas semanas na região.​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​

Culinária local

Você não pode deixar de experimentar alguns pratos típicos como o godó de banana, o cortado de palma e o pastel de palmito de jaca. Na chapada, frutas verdes como a banana, a jaca e o mamão são muito utilizadas em ensopados ou refogados.

O godó é um ensopado feito com banana verde e carne de sol (nem sempre tem carne) muito comum na região. O cortado de palma é um refogado de cacto picado. A palma é bastante comum no sertão e é utilizada para a alimentação do gado e também humana, especialmente na época da seca. O pastel de palmito de jaca é exclusivo da região do Vale do Capão, onde também é possível encontrar uma moqueca feita com este palmito.

Outros pratos típicos são o pirão de queijo coalho e a tapioca. Sucos da região são o de maracujá da caatinga, cajá e goiaba.

Produtos Especiais

Um dos principais produtos especiais da Chapada Diamantina é o mel orgânico. No Vale do Capão, existe uma associação de apicultura premiada nacionalmente. Na Chapada, produz-se também uma das melhores cachaças do Brasil, exportada para diversos países. Em alguns lugares, é possível visitar os alambiques, como o da Cachaça do Buracão em Ibicoara, e conhecer como funciona a produção artesanal. A região possui uma reconhecida produção de café gourmet e especial, pois produz grãos de alta qualidade. Possui essa característica devido à altitude acima de 1.300 metros da plantação, a maior do país e ao clima ameno.

Nosso Roteiro

Dia 1: Aeroporto de Salvador – Lencóis (pernoite)

Dia 2: Lençóis – Vale do Capão (pernoite) | Cachoeira da Fumaça

Dia 3: Vale do Capão – Iraquara – Lençóis (pernoite) | Pratinha e Morro do Pai Inácio

Dia 4: Lençóis – Itaeté – Nova Redenção – Mucugê – Ibicoara (pernoite) | Poço Encantado e Poço Azul

Dia 5: Ibicoara | Cachoeira da Fumacinha

Dia 6: Ibicoara – Igatu (pernoite) | Cachoeira do Buracão

Dia 7: Igatu – Aeroporto de Salvador

Guia completo

Cachoeira da Fumaça | Pratinha e Gruta Azul | Morro do Pai Inácio | Poço Encantado e Poço Azul | Cachoeira da Fumacinha | Cachoeira do Buracão

Hospedagem barata na Chapada Diamantina:


Booking.com

 

Charlico e Larissa

Juntos há 12 anos, desenvolvemos a paixão por viagem e aventura. Sempre que podemos unimos um ao outro. buscamos realizar o máximo de atividades possíveis em cada viagem. Ele é publicitário e baterista. Ela é veterinária, fotógrafa e entusiasta de yoga.

Você pode gostar...

  • victormaxmello

    Quanto vocês gastaram mais ou menos??

    • casaldemochilao

      Olá Victor! Não lembramos de todos os gastos dessa viagem, mas foi algo em torno de R$1200 cada um, com a passagem aérea do Rio de Janeiro. Como foi nossa lua de mel, não economizamos muito com hospedagem, por isso é possível gastar menos. Abraços!

  • Angeline Andrade

    Olá! Adorei as dicas. Eu e meu marido iremos em Fevereiro, teremos quatro dias completos para aproveitar o local, queria saber se você acha que consigo conhecer os seguintes lugares em apenas 4 dias: Morro do Pai Inácio, Poço encantado, Poço azul, Pratinha, Gruta azul, Cachoeira da fumaça, Cachoeira do buracão, Morro do camelo. Também queria saber como foi a parte da hospedagem, pois estou meio perdida, queria saber qual o melhor lugar para se hospedar e se devo me hospedar em um único local ou em mais de um. Muito obrigada!

    • Oi, Angeline. Peço mil desculpas pela demora para responder. Não recebemos a notificação. O roteiro está bem parecido com o nosso. Tivemos 5 dias completos. A diferença é que não fomos ao Morro do Camelo e sim Cachoeira da Fumacinha. Talvez fique apertado para fazer esse último. Dá uma olhada no roteiro que colocamos no post geral, com os passeios por dia e locais onde dormimos. A maioria das pessoas fica hospedada em Lençóis. Nós ficamos cada dia em um lugar, parando em Lençóis, Vale do Capão, Ibicoara e Igatu. Ficando somente em Lençóis, fica corrido para fazer passeios distantes, especialmente a Cachoeira do Buracão. Por isso, é melhor se hospedar em uma cidade mais próxima do local que você vai visitar naquele dia. Abraços!

  • VALÉRIA FERREIRA MENDONÇA

    Olá! muito bom o blog de vocês, virei fã. Parabéns.
    vocês lembram quanto custou em media os gastos com aluguel e combustível nesses 5 dias

    • Oi, Valéria. Muito obrigada pela mensagem! Não anotamos os gastos nessa viagem, mas o aluguel do carro em Salvador foi R$300 para 6 dias. Valor de 2013. Rodamos aproximadamente 2.000km com o carro, então dá para ter uma noção do total calculando a média de KM/L e o preço atual da gasolina. Fazendo uma conta rápida, o combustível fica em cerca de R$500. Abraços!