Chapada dos Veadeiros – Roteiro e Dicas de Viagem

A Chapada dos Veadeiros é uma região localizada no norte do Estado de Goiás e inclui cinco municípios em seus limites: Alto Paraíso, Cavalcante, Colinas do Sul, São João D’aliança e Teresina. Alto Paraíso e Cavalcante compreendem as principais atrações turísticas e há ainda o famoso povoado de São Jorge, que faz parte de Alto Paraíso.

Os atrativos turísticos como rios, cânions, cachoeiras de diversos tons de cor e águas termais estão distribuídos em uma região de exuberante beleza natural, rica fauna e flora e com importantes características históricas.

Cachoeira Santa Barbarinha na Chapada dos Veadeiros

Cachoeira Santa Barbarinha

Cachoeira Loquinhas na Chapada dos Veadeiros

Cachoeira Loquinhas

Aranha na estrada para São Jorge, Chapada dos Veadeiros

Aranha atravessando a estrada.

Carcarás na estrada para São Jorge, Chapada dos Veadeiros

Carcarás na estrada para São Jorge,

As principais particularidades na história da região foram a intensa exploração de cristais e os remanescentes de quilombos chamados Kalungas, que vivem hoje em povoados como o Engenho e Vão do Moleque, portas de entrada para alguns atrativos da região.

A Chapada dos Veadeiros também é cheia de histórias místicas: a área é cortada pelo Paralelo 14, o mesmo de Machu Picchu, a cidade sagrada dos Incas, no Peru; está localizada sobre uma imensa placa de cristal de quartzo que dizem que pode ser vista do espaço; é cheia de histórias de OVNIs. Por essas e outras, Alto Paraíso é considerada a capital do misticismo no Brasil.

Paralelo 14 na Chapada dos Veadeiros, Goiás

Foto: Camilla Albano

Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros foi criado em 1961 e protege uma área de 65.514 hectares do cerrado de altitude. O Parque abrange áreas de antigos garimpos de cristal e foi declarado Patrimônio Mundial Natural em 2001 pela UNESCO.

Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Cachoeira Cariocas no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Cachoeira Cariocas no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Como chegar

O aeroporto mais próximo da Chapada dos Veadeiros é o de Brasília, a cerca de 250 km de Alto Paraíso. O transporte público entre as vilas da Chapada é muito precário, ônibus é coisa rara por lá. Por isso, o melhor transporte na Chapada, sem dúvida, é o carro. Assim você tem mais flexibilidade e aproveita melhor as atrações. Claro que o método da carona é sempre uma opção para economizar.

Estrada para a Vila de São Jorge na Chapada dos Veadeiros

Estrada para a Vila de São Jorge

A empresa Real Expresso faz o trajeto de ônibus de Brasília até Alto Paraíso de Goiás. A viagem dura cerca de 3h30min.

Agências de Viagem

Nós sempre evitamos pacotes de passeios durante as nossas viagens e preferimos fazer tudo por conta própria quando for possível. Na Chapada dos Veadeiros não utilizamos serviços de agências, pois estávamos de carro e todos os lugares foram acessíveis.

Quando ir

A região do cerrado tem duas estações anuais bem marcadas. O período de chuvas vai normalmente de outubro a março e o período da seca de abril a setembro. A natureza nunca é exata, por isso é possível pegar chuva no período de seca, mas ela ocorre com pouca frequência. As cachoeiras ficam mais cheias no período chuvoso, o que pode ser mais atrativo para algumas pessoas. Já no período de seca, o volume de água fica baixo.

Nós visitamos a região no final do período de chuvas, em março. Não pegamos nenhum dia de chuva e as cachoeiras estavam com um grande volume de água. Consideramos uma ótima época para conhecer a Chapada dos Veadeiros.

Culinária local: a Matula é a comida típica mais conhecida da região, feita com feijão, mandioca e farofa de carne seca e o pão de abóbora. O Racho do Seu Valdomiro é o restaurante ideal para experimentar a matula e possui inclusive uma opção para vegetarianos. Vale a pena experimentar as diferentes frutas da região, especialmente o suco de Mangaba, fruta característica do Cerrado. O restaurante Vendinha 1961 possui uma extensa variedade de pastéis, com destaque para as opções com Pequi, outra fruta do Cerrado.

Nosso roteiro

Dia 1: Brasília – Alto Paraíso (Cachoeiras Loquinhas) – São Jorge (pernoite)

Dia 2: São Jorge (pernoite) | Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Dia 3: São Jorge – Alto Paraíso (pernoite) | Vale da Lua e Cachoeiras Almécegas

Dia 4: Alto Paraíso – Cavalcante – Alto Paraíso (pernoite) | Cachoeira Santa Bárbara e Capivara

Dia 5: Alto Paraíso – Brasília | Cataratas dos Couros

Hospedagem

São Jorge: Ficamos na Pousada Flor do Cerrado. A diária custou R$70 para os dois. Passamos antes no Camping Tauiá, mas achamos caro o valor R$35 por pessoa e encontramos a pousada que fez pelo mesmo preço sem o café da manhã. Com café, ficava R$80 o casal. Ficamos em um quarto triplo excelente, com banheiro e geladeira.

Alto Paraíso: Camping Jardim da Nova Era.  Boa estrutura e localização. É um Hostel/Camping e a área comum conta com banheiros e duchas separadas, cozinha e redes no jardim. A diária por pessoa custou R$25.

Guia completo

Cachoeiras Loquinhas | Vale da Lua | Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros | Cataratas dos Couros | Cachoeiras Almécegas | Cachoeira Santa Bárbara | Cachoeira Capivara

Hospedagem barata na Chapada dos Veadeiros:


Booking.com

Charlico e Larissa

Juntos há 12 anos, desenvolvemos a paixão por viagem e aventura. Sempre que podemos unimos um ao outro. buscamos realizar o máximo de atividades possíveis em cada viagem. Ele é publicitário e baterista. Ela é veterinária, fotógrafa e entusiasta de yoga.

Você pode gostar...

  • Danielle Sales dos Santos

    Olá ! Gostaria de ir no Carnaval.
    Voces tiveram que alugar um 4×4? Do roteiro de voces algum local é necessario guia?
    Podem me passar dicas de pousadas?

    Obrigada 🙂

    • Oi, Danielle. Não utilizamos 4×4. Fizemos tudo com um carro 1.0 e foi tranquilo. Só utilizamos guia na Cachoeira Santa Bárbara e Capivara, pois é obrigatório. Acabei de atualizar o post com as dicas de hospedagem e terminamos de postar todos os passeios da Chapada. 🙂
      Abraço!

  • Pingback: Meu caminho até aqui – Parte 2 | Blog Hari Om()