Deserto do Atacama, o mais alto e mais seco do mundo

O Deserto do Atacama está localizado na região norte do Chile e avança até a fronteira com o Peru. Possui cerca de 100 mil km² de extensão e é considerado o deserto mais alto e mais árido do mundo. Chove muito pouco na região, pois as correntes do Oceano Pacífico e da Amazônia não conseguem passar para o deserto, por uma série de fatores, incluindo a altitude da Cordilheira dos Andes.

O Atacama possui uma paisagem extremamente distinta com praias, vulcões, vales, montanhas coloridas, formações rochosas, lagos, gêiseres, piscinas termais e ruínas de civilizações antigas.

Salar de águas calientes no deserto do atacama,

Salar de Águas Calientes

Vulcão Miñiques no deserto do atacama

Vulcão Miñiques

Lagunas Escondidas no Deserto do Atacama, Chile

Lagunas Escondidas

Gêiseres El Tatio no deserto do atacama

Gêiseres El Tatio

As temperaturas no deserto podem variar de 0ºC à noite a 40ºC durante o dia e o sol é muito forte nessa região árida. Devido às condições extremas, existem poucas cidades ou vilas na região. A mais conhecida pelos viajantes é San Pedro de Atacama, que tem cerca de 3 mil habitantes e está a 2.440 metros acima do nível do mar. A cidade fica em uma das regiões mais bonitas do deserto, de onde saem os passeios mais conhecidos.

Acredita-se que nunca choveu em alguns locais do Deserto do Atacama e há registro de lugares que passaram milhares de anos sem chuva. Porém, a chance de chover durante uma viagem à San Pedro de Atacama não é tão pequena, pois as chuvas são mais frequentes nesse local. Apesar da aridez, é comum nevar nas regiões mais altas.

Mas o Atacama não se resume à San Pedro. Há diversos outros locais bastante interessantes como a Bahía Inglesa, em Caldera, e o Parque Nacional Pan de Azúcar, em Chañaral. Nesses locais, o deserto se encontra com o mar formando belas praias. Outras cidades litorâneas interessantes são Antofagasta, Iquique e Arica, essa última quase na fronteira com o Peru.

Bahía Inglesa, Deserto do Atacama, Chile

Bahía Inglesa / Foto: Alex Fuentes

Parque Nacional Pan de Azúcar, Deserto do Atacama, Chile

Parque Nacional Pan de Azúcar

Como chegar

De avião

O trajeto mais utilizado é o aéreo de Santiago a Calama. As companhias Lan Chile e Sky Airline têm voos regulares e a viagem dura cerca de 2 horas. De Calama, são cerca de 100 quilômetros e 1 hora e 30 minutos até São Pedro, percorridos de van ou ônibus.

  • Transfer: para quem gosta de viajar com tudo acertado, pode-se fechar o translado previamente. As empresas Licancabur e Turistour possuem esse serviço (cerca de Ch$ 15.000).
  • Ônibus: para quem quer economizar, vale a pena pegar um transporte (ônibus ou táxi) até o terminal rodoviário de Calama e um ônibus até o destino final com vários horários e empresas disponíveis (cerca de Ch$ 3000).
De carro

Saindo de Santiago, basta acessar a Ruta 5, conhecida como Panamericana Norte, que separa a capital chilena de São Pedro de Atacama. São cerca de 1.600 km.

De ônibus

É o transporte preferido dos mochileiros e as passagens de ônibus no Chile são baratas. As empresas Turbus e Pullman Bus fazem o trajeto de Santiago a Calama, sendo que a Turbus vai até San Pedro de Atacama (entre Ch$ 25.000 e Ch$ 60.000 o trecho, variando conforme o serviço). Infelizmente não há possibilidade de comprar as passagens pela internet. São cerca de 22 horas, uma viagem bem cansativa e um dia perdido. Mas você pode fugir do roteiro tradicional e parar pelo caminho, conhecendo outros lugares. Nós paramos em Caldera e Chañaral, dormindo na primeira cidade e utilizando o transporte noturno nos trajetos longos. Ao invés de perder um dia, passamos dois dias conhecendo lugares menos turísticos no Deserto do Atacama.

De ônibus na Ruta 5 pelo deserto do atacama

Ruta 5

Quando ir

A época das chuvas vai de dezembro a março. Pode chover muito nessa época e nevar nos lugares mais altos, impedindo o acesso a algumas atrações. Durante a primavera e o outono, as temperaturas são um pouco mais amenas.

Culinária Local

A região do Atacama possui forte influência da cultura andina e boliviana. Há variados pratos preparados com quinoa, grão típico da região andina e cultivado na região. O mais tradicional é o risoto de quinoa, encontrado em vários restaurantes locais e uma boa opção para os vegetarianos.

Receitas com carnes são mais comuns nos cardápios e comumente é oferecido carne de lhama. A Patasca é uma sopa tradicional que tem como ingredientes principais milho, carne e abóbora.

Os restaurantes no Atacama comumente oferecem o Menú del Día, uma opção mais econômica que normalmente oferece uma sopa de entrada e um prato principal (cerca de Ch$5000). Alguns restaurantes possuem menus mais completos, com entrada, prato principal, sobremesa e bebida.

Leia também:

 

Charlico e Larissa

Juntos há 12 anos, desenvolvemos a paixão por viagem e aventura. Sempre que podemos unimos um ao outro. buscamos realizar o máximo de atividades possíveis em cada viagem. Ele é publicitário e baterista. Ela é veterinária, fotógrafa e entusiasta de yoga.

Você pode gostar...