Travessia Norte x Sul na Isla del Sol – Bolívia

É possível conhecer a Isla del Sol em apenas um dia, mas quase todos se encantam com a ilha e concordam que esse tempo não é suficiente. É legal se programar para dormir uma noite na ilha. Nós infelizmente não tivemos tempo, mas recomendamos para quem tiver a oportunidade. Assim você terá tempo de curtir um pôr do sol espetacular e possivelmente um céu estrelado nesse local tão especial.

Povoado Challa, visto durante a travessia de norte a sul na Isla del Sol

Povoado Challa, visto durante a travessia de norte a sul na ilha

Existe um Museu Arqueológico em Challapampa (norte), onde se encontram peças encontradas ao redor da ilha e no fundo do lago, mas as ruínas espalhadas pela ilha são as principais atrações.

As ruínas de Chinkana também estão localizadas em Challapampa. O sítio parece um labirinto (Chinkana significa labirinto em quéchua), com recintos ligados por diversas conexões. Aqui é possível observar fontes de água pura que brotam do solo e nunca secam, segundo os nativos.

Complexo Chinkana, um labirinto em Challapampa, Isla del Sol, Bolívia

Complexo Chinkana, um labirinto em Challapampa, Isla del Sol, Bolívia

Complexo Chinkana

Bem ao lado está a Roca Sagrada (Rocha Sagrada) e a Mesa de Sacrifícios, onde os incas realizavam sacrifícios de humanos e animais. Há ainda o Templo do Sol, um conjunto de muros de propósito desconhecido.

Boliviano vende artesanato na Mesa de Sacrifícios na Isla del Sol, Lago Titicaca

Mesa de Sacrifícios

Em Yumani (sul), a Fuente del Inca e Escalera del Inca são bem conhecidas. A primeira é uma fonte de água responsável pelo fornecimento de água no povoado e a segunda é uma escada para acessar a parte alta do povoado. Há também o Complexo de Pilkokaina, conjunto de ruínas onde se destaca o Palacio del Inca.

Escalera del Inca em Yumani, Isla del Sol, Bolívia

Escalera del Inca em Yumani

Caminhada de Norte a Sul na Isla del Sol

A trilha de Norte a Sul na Isla del Sol é uma das caminhadas mais bonitas do altiplano boliviano, embora não seja fácil. A trilha é conhecida como Ruta Sagrada, um caminho utilizado a mais de cinco séculos pelos Incas que cruza a ilha de ponta a ponta. Ainda possui suas pedras originais e está em bom estado de conservação até hoje, graças aos moradores.

Caminhada de norte a sul na Isla del Sol

Ruta Sagrada, caminhada norte-sul na Isla del Sol, Bolívia

Caminhada de Norte a Sul na Isla del Sol, Lago Titicaca

A caminhada possui 10km de extensão e dura de 2h30 a 4 horas, dependendo do ritmo. Pode ser feita em qualquer sentido, mas de norte a sul é bem mais comum. A principal dificuldade é a altitude de 3.800 metros, o que é bem desgastante para a maioria das pessoas. Algumas subidas no caminho podem tirar o fôlego de qualquer trilheiro experiente. Por isso, devemos estar bem adaptados à altitude para fazer essa caminhada.

Durante o trajeto, moradores podem cobrar um “pedágio” para manutenção da trilha e da comunidade, chamado em espanhol de propina. O custo total é de cerca de 30 Bolivianos.

Caminhamos durante todo o percurso em meio a lindas paisagens do Lago Titicaca. Praias paradisíacas (e geladas!) e vegetação típica da altitude chamam a atenção. Os terraços agrícolas, técnica de cultivo da cultura inca, marcam as montanhas da ilha. Essa caminhada é um dos pontos altos de todo roteiro do mochilão Chile-Bolívia-Peru!

Caminhada em Challapampa, Isla del Sol

Caminhada em Challapampa

Praia da Isla del Sol, vista durante a caminhada de norte a sul

Praia da Isla del Sol

Charlico e Larissa

Juntos há 12 anos, desenvolvemos a paixão por viagem e aventura. Sempre que podemos unimos um ao outro. buscamos realizar o máximo de atividades possíveis em cada viagem. Ele é publicitário e baterista. Ela é veterinária, fotógrafa e entusiasta de yoga.

Você pode gostar...